imagem de um notebook ligado e em cima um smartphone com fone imagem de um notebook ligado e em cima um smartphone com fone

Liderança no trabalho remoto: como fazer?

17 minutos para ler

Com a chegada da pandemia causada pelo coronavírus, todos precisaram se adaptar. É um novo cotidiano, em que todas as atividades devem ser feitas dentro de casa. Sair, agora, só em casos extremos. Mas a rotina profissional, é claro, não pode parar. Manter a liderança no trabalho remoto é tão fundamental quanto no escritório.

Em meio a tantos trabalhadores que precisam sair de casa e, como consequência, se expõem ao risco de contaminação, ter um cargo que pode ser exercido home office é um privilégio. Além disso, muitas empresas já adotaram o trabalho remoto como uma realidade: ele evita que o colaborador perca horas no trânsito, além de proporcionar mais segurança física e horas de lazer. 

No entanto, o colaborador em trabalho remoto também pode sofrer bastante com queda de desempenho — e isso, claro, não é culpa dele. A preocupação com a própria saúde, os efeitos que o confinamento pode trazer à saúde mental, o medo de perder o emprego e as atribuições com casa e filhos são alguns dos problemas que podem afetá-lo durante esse período. E não pense que o gestor ou você, profissional de RH, não poderá passar pelos mesmos conflitos.

Diante de tantas questões, fica o questionamento: como demonstrar liderança no trabalho remoto? Como ter um trabalho de qualidade durante um tempo tão conflituoso? Como guiar e passar empatia ao colaborador?

Neste post, você vai entender como manter hábitos de liderança no trabalho remoto. Confira: 

Qual o papel da liderança no trabalho remoto?

O líder precisa guiar grupos de pessoas para que seus esforços sigam em um mesmo objetivo. É muito comum que os colaboradores não enxerguem sentido ou metas em seu trabalho; apenas cumpram ordens e ponto final. Uma liderança faz com que eles saibam por que estão trabalhando, o que vão alcançar e, principalmente, sintam que seu trabalho é reconhecido.

Em trabalho remoto ou não, um líder precisa inspirar e motivar. Mas isso não se dá apenas com palavras, e sim com ações. Em uma época de isolamento, os colaboradores devem perceber que os gestores também estão se esforçando para levar a empresa para frente e criar estratégias que mantenham os negócios funcionando da melhor forma possível e, principalmente, que se preocupem com a manutenção dos cargos.

Será que o líder também está se esforçando durante o isolamento? Os colaboradores percebem um discurso meio “ameaçador” e acabam exercendo suas atividades apenas por medo de perder o emprego? 

Tome cuidado: uma liderança pode motivar ou desmotivar uma equipe através de sua comunicação e estratégias utilizadas. Qual tipo de cultura organizacional o gestor está oferecendo aos colaboradores?

Liderança no trabalho remoto: quais são os estilos?

Segundo o Teoria dos Estilos de Decisão, há 3 estilos de liderança:

Liderança autocrática

É a centralização total da autoridade no gestor. Com isso, todas as decisões são tomadas por ele. Esse tipo de líder é o famoso “chefe”, que não permite que os colaboradores participem em quase nada. Assim, leva suas equipes em rédeas curtas, com constantes cobranças de resultados e pouca abertura para mudanças.

Como nesse tipo de liderança não permite nem um pouco de autonomia ou liberdade aos colaboradores, eles acabam trabalhando apenas para cumprir tarefas ou prazos. Consequentemente, perdem o prazer em exercer suas tarefas e costumam desenvolver problemas relacionados ao estresse. 

Não é necessário dizer que esse é o tipo de liderança que você deseja evitar na empresa. Afinal, ela piora a rotina laboral, proporciona um ambiente hostil, forte pressão psicológica, estresse aos colaboradores e o famoso turnover. Portanto, não é necessário dizer como isso prejudica a imagem do negócio e impede que novos talentos tenham interesse em trabalhar nele.

Liderança liberal

É o extremo oposto do autocrático — os colaboradores têm total liberdade para decidir os rumos de suas atividades diárias e até de tomar decisões importantes. O problema é que sua imposição no curso dos acontecimentos é quase nula, portanto a equipe não tem um exemplo a seguir.

Delegar todas as decisões aos colaboradores coloca sob seus ombros uma responsabilidade bem maior do que é cabível a eles. Além disso, acabam se perdendo na execução de suas tarefas, não conseguem se desenvolver profissionalmente e perdem o respeito pelo seu líder. Afinal, esse excesso de independência soa como uma forma de colocar sobre a equipe o trabalho do gestor.

Por fim, essa falta de supervisão ou orientação, diante de situações de crise, pode custar caro para a empresa se não for mediada com cautela ou gerenciada em associação com outros tipos de liderança.

Liderança democrática

É o equilíbrio entre os dois tipos de liderança. O gestor permite que o colaborador opine, critique e tome determinadas decisões com relação ao seu cargo, mas dá um norte para que tudo siga o objetivo da empresa.

O líder democrático interage constantemente com sua equipe, o que faz que decisões sejam tomadas em consenso. Ele entende melhor o funcionamento de cada tipo de trabalho e também permite que alterações sejam feitas no processo de execução de tarefas, desde que sejam mudanças boas tanto para os colaboradores quanto para a empresa.

Esse tipo de líder também é mais aberto a promover a capacitação profissional de sua equipe e a reconhecer os méritos de seu desempenho.

A liderança democrática impulsiona a busca por resultados individuais e aprendizado, sem que os colaboradores se sintam sufocados ou sem um rumo a seguir.

Como manter a liderança no trabalho remoto?

Veja nossas dicas para que, mesmo fisicamente distantes, os colaboradores se sintam orientados por um líder:

Saiba delegar as tarefas

Como visto, centralizar só causa pressão, enquanto delegar demais tira o foco e deixa o colaborador perdido. É necessário saber quais atribuições podem ser delegadas. 

Aqui, o ideal não é distribuir as tarefas por horários, e sim por atividades. Isso porque, como dito, profissionais home office trabalham de formas diferentes. Então, não priorize horas contínuas de trabalho, e sim os resultados entregues.

Use os recursos tecnológicos

Quem precisa manter a liderança no trabalho remoto deve oferecer ferramentas simples, fáceis e intuitivas para planejar, organizar e executar as tarefas. Elas farão toda a diferença na produtividade do colaborador, além de economizar tempo e facilitar o contato com outros setores da empresa.

A tecnologia permite que o trabalho remoto seja uma realidade. Se muitos colaboradores não precisam estar presentes para apresentar resultados ou assistir a reuniões, por que um gestor não pode usar as mesmas plataformas para motivar e orientar seus colaboradores?

Faça reuniões periodicamente

É fato que muitas reuniões poderiam ser evitadas com simples trocas de mensagens. Mas num momento em que a insegurança profissional é alta, conferências periódicas permitem que gestores e colaboradores tenham clareza sobre o que está acontecendo com a empresa.

Elas são importantes para que todos conversem sobre a dinâmica de trabalho, ajustem algumas estratégias, sintam-se amparados em um momento conturbado e mantenham o foco no objetivo da empresa. 

Contudo, quando feitas em demasia, podem atrapalhar a produtividade do colaborador. Vamos voltar à primeira linha: será que o tema dessa reunião não poderia ter sido resolvido com apenas uma mensagem? Portanto, você pode fazê-las uma vez por semana com cada setor, e uma conferência geral uma vez por mês.

Entrevista Online Abler

Entenda que a dinâmica mudou

O colaborador está em reunião e, de repente, surge uma criança querendo atenção. Um cachorro ou gato pode aparecer do nada; no fundo, há uma tábua de passar. Alguém grita em outro cômodo e parece aumentar o volume da televisão. Então, o colaborador fica constrangido! Agora, ele tem que dividir a rotina profissional com a pessoal mais do que nunca. 

Para quem já trabalha remotamente há muito tempo, esse tipo de situação é mais fácil de contornar. Afinal, já há mais costume com reuniões online e, muitas vezes, um espaço reservado em casa apenas para o trabalho. No entanto, quem não está acostumado com esse tipo de rotina provavelmente vai sofrer no começo, principalmente se tiver filhos. Nem todos conseguem entender que trabalhar em casa não significa trabalhar menos — ao contrário: as tarefas diárias parecem se multiplicar.

Gestor, colaboradores e profissionais de RH — todos estão passando por momentos conturbados, de adaptação. Portanto, é preciso compreender que, agora, será muito difícil separar o pessoal do profissional. As reuniões terão uma ambientação, mas isso não significa queda de responsabilidade.

O RH precisa convidar o gestor a se colocar no lugar do colaborador e até a mostrar esse ar caseiro em suas reuniões. Essa abertura à descontração traz mais confiança e uma relação mais estreita entre líder e equipe. Ao contrário do que se possa pensar, isso não significa uma quebra de seriedade no trabalho. Essa liberdade aumenta a confiança e a produtividade. 

Seja flexível a novas formas de trabalho

A forma como o colaborador trabalha em casa pode não obedecer ao horário convencional de trabalho. Há quem prefira começar às 8h e terminar às 17h; quem só consiga se concentrar de madrugada e quem divida as horas de trabalho durante o dia. Quem mora com crianças e adolescentes precisa adotar horários distintos para conseguir se concentrar.

Em muitos casos não importa a forma de trabalho, contanto que o profissional consiga ser produtivo, entregar resultados no prazo e estar presente nas reuniões. Em empresas muito convencionais, esse tipo de abertura pode ser mais complicada. Atendimento, por exemplo, necessita da presença do profissional durante o horário comercial. Mas será que todas as funções do seu negócio precisam obedecer a esse formato?

Para o líder, o importante é fazer o possível para manter o objetivo principal. Mesmo no trabalho remoto, é preciso orientar o trabalho — para isso, as reuniões, e-mails e mensagens pelo Slack são fundamentais. E, claro, não se esqueça do feedback.

Mantenha a liderança no trabalho remoto demonstrando confiança

Como dito, a situação de trabalho remoto é nova para a maioria dos colaboradores. A mistura entre tarefas pessoais e profissionais é intensa e, por isso, pode atrapalhar e trazer insegurança. Vai ser possível entregar bons resultados? Será que as tarefas estarão prontas no prazo estipulado? 

Então, é hora de demonstrar confiança nos seus colaboradores — eles precisam saber que o gestor acredita neles! Portanto, é preciso saber como cobrar: não exagerando nas mensagens diárias, reunindo-se apenas em momentos necessários e, principalmente, não mandando mensagens fora do período de trabalho ou durante o horário de almoço. Mesmo um trabalho remoto precisa respeitar horários.

Ensine sobre produtividade

Um dos grandes problemas no trabalho remoto é a gestão de tempo. Você mora no local de trabalho, então todo o período em casa parece ser o horário de serviço. Como consequência, ocorre a procrastinação — e isso nada tem a ver com preguiça ou irresponsabilidade.

Para ajudar os colaboradores nesse novo momento, gestores e profissionais de RH podem se unir para ensinar hacks de produtividade. Essas dicas serão tão úteis que poderão otimizar até mesmo as tarefas domésticas comuns. 

No entanto, é importante não se esquecer do essencial: é possível ter responsabilidade com liberdade. Então, não importa como o colaborador resolveu distribuir a forma de trabalho durante o dia, desde que entregue tudo no prazo.

Ofereça infraestrutura

Trabalho remoto não significa deixar toda a estrutura nas costas do trabalhador, e um bom líder precisa ter ciência disso. É essencial não se esquecer de oferecer infraestrutura para a equipe, e isso pode incluir:

  • ferramentas premium instaladas e com acesso liberado;
  • atualização de pastas compartilhadas;
  • normas de trabalho bem pensadas;
  • internet de alta velocidade.

Bônus: ferramentas online para otimização do trabalho remoto

Você se preocupou bastante em demonstrar liderança no trabalho remoto, mas precisa de recursos que permitam essa união entre colaborador e equipes. Veja quais aplicativos vão otimizar tarefas e facilitar essa nova rotina:

Whatsapp Business

O WhatsApp é uma ferramenta que revolucionou a comunicação, mesmo depois de muitos anos de internet presente nos lares brasileiros. No entanto, sua popularização e informalidade acabaram tirando um possível ar profissional que ele poderia ter. Foi pensando nisso que o Facebook, atual dono do aplicativo, criou uma versão Business para ele.

Voltado para pequenas empresas, o WhatsApp Business é muito usado por autônomos e microempreendedores individuais (MEI). Gestores, CEOs e celetistas que usam o aplicativo para trabalhar também têm muitas vantagens com ele.

Para um líder, uma ferramenta como o WhatsApp Business permite que ele separe o pessoal do profissional. Afinal de contas, o trabalho remoto acaba tirando essa noção de quando parar de trabalhar. Portanto, ele envia respostas automáticas a quem entra em contato depois do horário comercial. 

Zoom

O Zoom é um serviço de conferências voltado especificamente para reuniões online. Embora tenha 4 planos pagos, a versão gratuita permite videoconferências ilimitadas de até 40 minutos e com até 100 participantes. Já reuniões individuais podem ter mais tempo de duração.

A graça do Zoom é que ele permite diversos recursos de reunião de uma maneira mais profissional do que outros aplicativos. Com isso, é mais fácil fazer sessões de treinamento e webinars para públicos internos e externos. Ele também é fácil de acessar, tem boa conexão e fácil de ativar/desativar câmera e microfone.

Durante os primeiros dias de isolamento e quarentena, o número de usuários do Zoom, que era de 10 milhões de usuários diários, chegou a ter 200 milhões de pessoas conectadas em apenas um dia.

Google Hangouts

O Hangouts é uma ferramenta desenvolvida pelo Google que une chamadas de voz, vídeo e chat. Fácil de usar, ele é leve e faz chamadas com facilidade. Além disso, foi criado com o objetivo de auxiliar profissionais que trabalham remotamente. Portanto, você pode conversar com até 25 pessoas em uma mesma videoconferência.

O Google também tem uma versão mais “encorpada” da ferramenta, o Hangouts Meet. Sua versão premium permite reunir até 250 pessoas em um mesmo bate-papo, além de ser possível fazer transmissões para até 100 mil espectadores. Durante a pandemia, o Hangouts Meet estará com recursos premium liberado gratuitamente para empresas. Portanto, para quem faz reuniões periódicas, é o momento de aproveitar. 

Google Drive

Como tudo o que é feito pelo Google, o Drive é uma das ferramentas mais completas de armazenamento em nuvem. Você pode compartilhar gratuitamente até 15GB de arquivos com outros usuários. Além disso, ele tem um próprio sistema gratuito de criação de documentos de texto, planilhas, apresentações e formulários, que são automaticamente atualizados cada vez que sofrem uma edição. Ele também funciona de forma integrada com outras ferramentas Google.

Skype

Velho conhecido de quem usa a internet para falar com usuários remotos, o Skype ainda é muito utilizado, principalmente no mundo corporativo. Diferentemente do Hangouts, em que o acesso é pelo navegador, o programa precisa ser baixado e configurado antes do uso. No entanto, para concorrer com os outros serviços, a empresa lançou o Skype Meet Now, que realiza chamadas de vídeo e voz sem exigir instalação ou criação de conta.

O Skype é muito popular, portanto é fácil encontrar usuários entre seus colaboradores. Além disso, ele permite o compartilhamento de tela e ligações para números fixos e de celular.

Slack

Está cansado de grupos de WhatsApp? Você não quer receber mensagens fora do horário, mas não pode silenciá-los? Então, o Slack é a escolha perfeita.

Funcionando como uma mistura de rede social e mensageiro voltado a ambientes profissionais, o Slack permite que o administrador crie diferentes grupos para equipes distintas. Você pode separar chats por setores ou projetos. Além disso, só receberá notificações de mensagens caso seja mencionado ou quando o remetente citar “@chanel” (notifica todos os presentes no grupo). Ele também pode ser integrado a outros serviços, como Google Drive, Office 365 e Trello.

Por fim, ele não notifica novas mensagens depois do horário de trabalho nem mesmo em chats individuais.

Trello

Quer saber como está o andamento do projeto? Você precisa trocar informações apenas com as pessoas envolvidas nele? Quem não vive sem ferramentas de organização vai se apaixonar pelo Trello. O recurso funciona como um painel com post-its, mas tudo é feito online.

Dividido em colunas, você pode mover o “post-it” sempre que uma tarefa avançar ou precisar de ajustes. Cada um dos cartões tem ´prazos, objetivos e responsáveis definidos.

O Trello também permite upload de arquivos, recursos de checklist e etiquetas coloridas para separar os arquivos por temas.

Google Agenda

A liderança precisa se mostrar presente sempre. Portanto, ter uma agenda clara e aberta para todos os colaboradores permite que eles estejam cientes de reuniões e compromissos que envolvam gestor e empresa no geral.

O Google Agenda é, como o nome diz, uma agenda online. Nela, todos terão visíveis os compromissos do dia, semana e mês. É possível adicionar, controlar e excluir eventos, compromissos e compartilhar a programação com outras pessoas. Tudo de uma forma bem simples.

Além disso, cada lembrete pode ter uma cor diferente, o que permite uma segmentação por tipo de evento.

Toggl

Como dito, é muito fácil perder a hora no trabalho remoto. Para um líder, orientar o colaborador a não extrapolar o tempo cumprindo tarefas demonstra humanidade e preocupação com o bem-estar. Mas, além de falar, que tal oferecer um recurso de traz resultados eficazes?

Ter uma ferramenta de time tracking ajuda a acompanhar as horas efetivamente trabalhadas e auxilia os colaboradores a gerenciar o tempo dedicado a uma tarefa. O Toggl é um aplicativo que diz o tempo investido em cada projeto ou cliente. Como ele faz essa contagem de maneira automática e gera relatórios detalhados, elimina a necessidade do preenchimento de planilhas — o que otimiza ainda mais a rotina. 

Para que o tempo gasto não seja alto, o Toggl  dispara alertas programáveis quando o tempo de execução de uma atividade termina.

Além disso, se a sua empresa já realiza o controle de frequência de funcionários presencialmente, no home office essa ação é muito importante para controlar efetivamente a jornada de trabalho dos colaboradores. O sistema da PontoTel auxilia empresas no processo de registro de ponto, tornando essa tarefa mais eficiente e totalmente móvel.

Viu como é possível manter a liderança no trabalho remoto? Outra tarefa também viável a distância é a contratação de novos talentos. Para isso, é preciso contar com as ferramentas certas, que vão ajudar você a selecionar os melhores currículos.

O Abler é um software de recrutamento e seleção ágil e inteligente que, usando inteligência artificial, permite a triagem automática de currículo, a gestão completa e descomplicada dos processos seletivos, o fechamento de vagas com maior precisão e indicadores para analisar os melhores candidatos. Então, faça o teste gratuitamente e venha ser Abler!

Posts relacionados

Um comentário em “Liderança no trabalho remoto: como fazer?

  1. Olá, estou há dois dias tentando achar um “fale conosco” ou “chat” pois tenho cadastro atrelado ao meu cpf 809 179927 68 mas, meu e mail foi desativado. DESTA FORMA, nao consigo entrar, fazer login para me canditar. POR FAVOR RESOLVAM, ALGUEM ME AJUDE??????

Deixe um comentário